Notícias  » Geral

SEM MURETA

           

Torce Contra e Baixada de Munique controlam adversários e avançam às semifinais; Condor’s se classifica com palhaçada do Vila Mureta
  • Torneio de quinta à noite? Tem sim!

    Sua noite de quinta será a maior diversão!
  • Seu notebook anda travando?

    Suporte para seu notebook e computador. Atendimento em domicílio. (11) 99138-0262
A Copa Alot dos Campeões Chuteira se equivale a disputar um Mundial de Clubes. Opa, só com essa nomenclatura haveria time abrindo mão de um simples pré-carnaval para se dedicar a ser o melhor do Chuteira de Ouro. Torcedores fariam qualquer coisa para ver sua equipe conquistar o universo (chuteirense, no caso). O Vila Mureta não quis. Independente do fato, dar um w.o. numa competição como esta é de um egoísmo sem precedentes. A vergonha por mais um não-comparecimento já fala por si só. De mureta não queremos saber: avante, Torce Contra e Baixada de Munique!
 
Surpresa? Calma, nem tanto. Foram campeões da Prata e Aço, respectivamente, no primeiro semestre de 2018 (os santistas levaram a Bronze no segundo semestre também). Tinham pela frente equipes duras, habilidosas, acostumadas a jogos cascudos. O Bacana, por exemplo, vinha numa subida assustadora. Não havia perdido nenhuma partida desde seu retorno à Liga Chuteira de Ouro, na temporada 2018 (passou incólume e levantou os canecos do Chuteira 5 e da Aço). Já o 2 Tok’s chegou ao torneio credenciado pelo seu título na Série Bronze.
 
Que comecem os jogos! O primeiro combate opôs TC x Bacana. Nunca haviam se enfrentado, então, as apostas certamente seriam para quem conhecesse mais determinada equipe. A turma do Baixada de Munique já estava nas arquibancadas para sua disputa – na sequência – e começou a observar, por exemplo, que o Bacana joga com ala e pivô. Boa observação, Prado, até porque Romulo deu trabalho enquanto esteve em quadra e Antonelli incomodou em alguns momentos um sistema defensivo bastante questionado em outras ocasiões, mas que funcionou como poucos dessa vez.
 
Aliás, falando no Torce Contra, jogou como guerreiro. Contadinho, com apenas um suplente, o time largou a bola com o Bacana e tratou de se defender. A posse bacana era maior, e o time tinha a paciência necessária para achar uma brecha na marcação azul. Paciência que faltou para Demehur depois de dar linda assistência infiltrada para Romulo não dominar na frente de Duarte. Enquanto isso, Alemão fazia grande jogada para sair de frente a Piero, mas a pontaria estava guardada aos blocos pré-carnavalescos.
 
O Bacana tinha mais volume e poderia ter aberto a contagem com giro à queima-roupa de Romulo, só que Duarte foi milagroso para se esticar e defender a potência! O problema é que Sacola não quis fazer igual, e, após trocas rápidas de sua equipe, o ligeirinho recebeu pela direita e cacetou para abrir a contagem! O gol fez mal ao Bacana, acredite. O TC cresceu de tal forma que Piero teve que pegar a redonda pela rabiola após quase deixar passar chute despretensioso. E, depois de as bolas de Cauê incharem após cobrança de falta de Xavier, o TC ganhou uma infração quando o mesmo Xavier sairia na face de Piero. Nova falta, frontal, que Luizão cacetou no meio para deixar tudo igual antes do intervalo!
 
A segunda etapa foi mais falada que a primeira. De repente, as entradas já eram mais duras e a arbitragem, de uma conivência sem tamanho. Xavier tratou de dar emoção ao assustar Guido, o goleiro bacana da etapa final, com um petardo da direita. O Bacana, por sua vez, intensificava as ações no ataque – ora com a bola, ora sem ela. Só que era Luizão a deixar Guido atordoado, e o arqueiro teve de se esticar no canto para salvar. Duarte também estava inspirado e foi brilhante ao parar um cruzado de Antonelli. A pressão bacana era poderosa, só que a bela jogada que envolveu Nazi para Luizão, esticada para o mesmo Nazi cruzar rasteiro da direita resultou na virada: Guido afastou parcialmente e a zaga não acompanhou Alemão, que fuzilou sem piedade!
 
A vantagem só foi aumentada graças à cabeça de Neto, que salvou em cima da linha um chute de um livre Gabrielzinho! Depois disso, ficou fácil para Duarte lançar, Xavier ajeitar e Luizão completar o 3 x 1! Fê Loko virou goleiro-linha. Teria dado certo se o cruzado de Gabrielzinho não tivesse um espetacular Duarte para salvar! Teria dado certo também caso Romulo não tivesse ‘salvado’ gol certo do Bacana em cima da linha, de cabeça! Certo mesmo deu quando o contragolpe chegou para Luizão “mandar de canhota no ângulo”, de acordo com o 20 do Baixada de Munique, Capita, para ampliar a fatura com seu improvável hat trick!
 
Com bate-rebate dentro da área, Romulo descontou para o Bacana, mas Fê Loko já estava descabelando quando um livre Luizão quase anotou mais um em chute no qual o improvisado arqueiro teve de voltar rapidamente à meta. Porém, literalmente ‘deitando’ nos contra-ataques, o Torce Contra avançou às semifinais quando Luizão sairia na cara de Fê Loko para fazer seu quarto tento. Puxado pela camisa na entrada da área bacana, coube a Neto quase furar a rede!
 
O outro time cascudo que ficou de fora – O duelo seguinte colocaria frente a frente outro confronto inédito. O 2 Tok’s levantou o caneco da Série Bronze, mas compareceu com uma equipe perdida em quadra. Para quem ama futebol, em 2011 completou-se 30 anos do título intercontinental do Flamengo e alguns sites disponibilizaram a íntegra da decisão em Tóquio contra o Liverpool. Para quem tem consciência do que aconteceu naquele dia, então sabe que o Baixada de Munique jogou igual ao Mengão.
 
A rapidez nas trocas de passes já era de conhecimento de quem acompanha a equipe da Baixada Santista. O diferencial, dessa vez, foi o número de jogadas com infiltrações por dentro da zaga do 2 Tok’s – que só incomodou, de leve, após pedir tempo técnico. Antes disso, Pedrinho era como Zico. Todas as bolas passavam por seus pés. Inclusive, era o dono das assistências, e que seus companheiros cansaram de desdenhar. Dener, manager do Torce Contra, sonhava com o camisa 10 jogando com o manto azul de seu time.
 
Cross salvou o 2T em cima da linha após chute de Capita; General Barreto estava sonhando ou com o pré-carnaval santista ou com uma certa camisa preta e perdeu gol na cara, após passe milimétrico do ‘Zico do BM’, Pedrinho; o próprio baixada 10 pararia em um sensacional Claudio após tabelar com Hec; Pimenta também salvaria o 2T em cima da linha após chute de Hec; outra vez a jogada de Pedrinho para a infiltração de Capita: Claudio merecia o Oscar ao invés de Rami Malek!
 
Todas essas jogadas saíram antes da pausa técnica citada acima. O 2 Tok’s voltou melhor na marcação e até obrigou Matheuzão a fazer defesa difícil em tentativa de Pimenta, mas logo Pedrinho deixaria um vacilante China na cara de Claudio. O jeito foi chegar o intervalo, com o artilheiro do jogo passado, Luizão, fazendo lobby com Dener por Pedrinho no TC! (Spoiler: o BM, através de seu presidente, Guina, já fez a contraproposta, oferecendo uma troca simples de Pedrinho por Xavier).
 
A bola poderia punir o Baixada de Munique com tantos gols desperdiçados. Um deles foi o chute colocado de Tubas que tirou a Suvinil da trave de Claudio. No contra-ataque, Feitosa ganhou dividida pela direita e rolou rasteiro no meio para Diego Leandro mandar com Matheuzão vendido, mas General Barreto largou os pensamentos errados e salvou, em cima da linha, o BM de levar um ‘come’ lindo do presidente Guina!
 
O lance despertou a turma de Santos e a carga foi mortal. Tubas acertou o pé da trave depois de Jerry desperdiçar excelente oportunidade (só que o craque invisível ainda calará algumas bocas nesta matéria). Em seguida, China tomou pelo meio, abriu para Hec e foi receber na área para fazer 1 x 0! Hulk, um tanto sumidão, apareceu para subir no 10º andar e cabecear na trave! Só que a saída errada de sua equipe custaria caro, já que Tubas aproveitou para fazer o serviço que deveria ter sido de China no 2 x 0!
 
O confronto se aproximou de uma pelada de carnaval – o 2T já não tinha mais posicionamento. Presa fácil para Tubas rolar para Jerry empurrar e marcar um gol pela primeira vez após 15 jogos com sua namorada, Amanda, assistindo-o! A peleja prosseguiu em ritmo de frevo e todos só esperaram o apito final para poderem vestir suas fantasias. Ainda teve tempo para General voltar a sonhar com o NQS em cruzado que Claudio defendeu; tempo para um festival de paqueras entre os lados e com atuações brilhantes de Matheuzão e Biel, que superariam, por exemplo, Mahershala Ali em Green Book: O Guia; tempo para Diego Gallego, sim, ele mesmo jogando no ataque, girar mas parar nos pés de Della – após jogada marota de Hulk. Só não houve tempo de o Vila Mureta honra seu compromisso, e a manhã-tarde da abertura da Copa dos Campeões findava no ritmo da cachaça do Prado louco!
 
 
Os 3 vencedores se juntam ao Nois Que Soma, campeão da Ouro, nas semifinais. O Baixada de Munique é o obstáculo do bicampeão. Do outro lado, Condor´s e Torce Contra disputam pra ver quem estará na final no sábado 16 de março.

Comentários

Total (0)