Notícias  » Geral

BALANÇO # 5.1 – Shoot outs antes do dilúvio

           

5 de 6 partidas acabam decididas no shoot out; nessa, o SPQSF é especialista e fará final ante o surpreendente Hooligans
  • Torneio de quinta à noite? Tem sim!

    Sua noite de quinta será a maior diversão!
  • Seu notebook anda travando?

    Suporte para seu notebook e computador. Atendimento em domicílio. (11) 99138-0262
Já temos os finalistas da VI Copa Apertura! E para chegar lá SPQSF e Hooligans precisaram se superar em quadra e nas disputas de shoot out! E como teve shoot out nessas quartas e semifinais! Para o leitor ter ideia, os quatro jogos de quartas acabaram empatado! Já nas semi, o SPQSF repetiu a dose e foi só com shoot out pra bater o Abre o Olho! Nessa toada, o Hooligans foi melhor, já que, mesmo debaixo de temporal, segurou o resultado de 2 x 1 ante o Ras Time.
 
Nas quartas, o SPQSF era levemente favorito ante o Senta os Alunos e começou pressionando. Darx deixou seu cartão de visitas nos primeiros minutos, em paulada do meio a explodir no travessão. Depois disso, o Senta foi melhor e chegou ao gol com Nery, mas não passou um minuto para Darx empatar.  Sem Dicredo, suspenso, o SPQSF jogava mais recuado que o normal e não tinha a sua peça-chave do contra-ataque. Já no segundo tempo, bola no meio para Nadal na esquerda, que de pé direito mandou bonito chute no lado oposto de Vini. A bola morreu na rede lateral em 2 x 1.
 
Parecia que era dia do Senta, tanto que Rick salvou uma bola em cima da linha evitando o pior ao time dos Dicredo. A pressão foi grande, Vini apareceu em alguns momentos, principalmente em bolas rasteiras. Porém, um lateral jogado pra área, ninguém tirou e ela se ofereceu a Rodi, na marca do pênalti. O camisa 10 empurrou ela lá no canto e deixou tudo igual! Decisão nos shoot outs, e desta vez a estrela de Careca não brilhou. Na verdade, a estrela de poucos brilhou, já que foram 7 desperdícios até que enfim Febem fosse lá para acertar o ângulo de Negueba e avançar o SPQSF de fase! Febem, guardem este nome!
 
 Já era segundo tempo e nada de gol. Então o Invictus fez o que se propôs: achou uma bola e guardou. Lateral pra Léo Chama, que bateu de primeira de fora da área e fez a bola encontrar Raphinha quase em cima da linha. Gol fácil esse aí! 1 x 0! Só que o Abre chegou ao empate, e foi na bola parada, em falta frontal batida por Vander rente a trave! O empate virou disputa de shoot out, com o Invictus errando 2 de 3 enquanto o Abre perdeu apenas um. Abre na semi!
 
O jogo entre Hooligans e 2 Tok´s é daqueles que podemos chamar de primeiro tempo de um, segundo tempo do outro. Pois isso explica bem o nabo que foi o 3 x 0 nos primeiros 20 minutos, com Melgar enfim estreando e se destacando. Ele fez nada menos que os 4 gols do time! Quem precisa de Profeta se tem Melgar, hein? Roubando do zagueiro e metendo no canto ele marcou; pelo alto ele usou a cabeça.
 
O intervalo deve ter sido daqueles de chicote estalar e pulga dançar no lombo, pois o 2 Tok´s voltou absolutamente outro. Em menos de 5 minutos, Caio e Rafa, quase sem ângulo, já tinham marcado. Aos 10, Caique empatou (e ainda mandaria uma bola venenosa no travessão)! Isso mesmo, 3 x 3! O rolo compressor voltou!
 
A virada era questão de tempo, e num shoot out tinha tudo para acontecer, mas Nicaretta, o rei nórdico, quase um Thor tupiniquim a vestir verde, cresceu mais que o Hulk e impediu o chute de Caique de entrar. Tudo bem porque, com Vini pegando rebote de chute de Bahia na trave, saiu a virada, já aos 19! A casa tinha caído de vez ao Hooligans, certo?

Errado! O time da fé não se entregou e, aos 22, arrancou o empate! Falta quase no escanteio foi rolada pra Melgar, que cortou o zagueiro e meteu no canto do goleiro, com um fuzuê de gente na frente. E não é que foi certeira?! Empate no apagar das luzes, 4 x 4 e... shoot outs (ah vá!)!!! Gui, Melgar e Alemão, na quarta cobrança, foram às redes, enquanto Bahia perdeu a cobrança decisiva ao 2 Tok´s! O Hooligans estava nas semi! 
O adversário sairia do jogo entre Ras Time e Condor´s. Muitos já previam uma semifinal entre 2 Tok´s e Condor´s, reeditando a final da Série Prata passada. Um deles já tinha caído, coube ao Ras, também nos shoot outs, fazer despencar o outro. Apesar do jogo não ter sido dos melhores (você já viu o Ras fazer um jogo bonito?!), o Condor´s foi mais incisivo, especialmente nas bolas paradas: marcou seu gol com Gennick em falta nos minutos finais da etapa primeira e em outra Rafa Martins acertou a forquilha!
 
No segundo tempo, pouca criação, baixa inspiração e um Ras que precisava correr atrás. Assim o fez e empatou aos 15 minutos, em assistência de Rernanes para Pet matar e mandar rasteiro no canto de Marcão. O 1 x 1 persistiu, então que venham os shoot outs! Pet (fora) e Rafa (Parangolé!) perderam, mas Preto e Rernanes marcaram. Aí Fezolas saiu afoito e no primeiro toque adiantou demais e teve de explodir em Marcão para não ficar mais feio. A Gio cabia o shoot out decisivo, que escolheu o canto com consciência e ela passou raspando a trave! Então Silas foi ousado e bateu com precisão um bolão lá no alto! Uau, que frieza! Já Pagé fez igual Gio: buscou o mesmo canto e errou o alvo. Ras nas semi!

Nas semi, o SPQSF fez outro jogo magro. Saiu perdendo do Abre o Olho – gol de Cesinha aos 8 do primeiro tempo, depois de ele ter perdido chance incrível ao acertar o travessão após rebote de Vini em chute de Fê Amato – e dosou ataque com defesa. Chegou ao empate apenas no segundo tempo, já aos 13 minutos, com Rica correndo do meio pra direita e mandando chute cruzado.
 
O Abre teve uma chance que merecia ser gol em contra-ataque puxado por Beza, toque pra Fê Amato e chute que ficou no caminho e voltou ao camisa 10. Beza pegou de primeira, aquele tapa seco que deu o efeito e fez a bola subiu em direção ao ângulo. Vini gritou “tira!” para Rick quase debaixo da trave, mas no que ele pulou a bola lentamente bateu no travessão e voltou para ser afastada! Isso sim é um pecado da bola!
 
Não tinha jeito. Mais uma decisão por shoot out. aí a competência do SPQSF falou mais alto. Mesmo com Darx perdendo, Dicredo e Febem (olha ele aí de novo!) marcaram e fizeram 2 x 0, já que Amato e Winni desperdiçaram e nem precisou o Abre bater a terceira cobrança!
 
Já debaixo de muita chuva e com parte da quadra alagada no segundo tempo, o Hooligans fez 2 x 0 no seco (Guaru e Alemão), sem Melgar, o herói das quartas, que foi embora de fininho para não desajeitar o cabelo. Quem ficou saiu ensopado, mesmo o técnico Amatuzzi, que não sabia se ficava dentro ou fora de quadra. No segundo tempo, o Ras ainda chegou a descontar, com Rernanes, mas o 2 x 1 persistiu e os ingleses nada exemplares comemoraram a ida à final.

Comentários

Total (0)