Notícias  » Prata

EYE OF THE CONDOR’S!!!

           

Condor´s entra focado, anula forte ataque do 2 Tok’s, se “vinga” de goleada e fatura a Série Prata pela segunda vez
A semana do Condor’s teve um assunto: a derrota para o 2 Tok’s por 5 x 0. Muito se falou daquela partida realizada na 6ª rodada, a análise feita por este repórter bateu nessa tecla e o Planeta Chuteira também citou o assunto. De todas as finais do dia, esta era a mais difícil de cravar, por conta dos dois ataques poderosos. Dois meses e alguns dias depois, eles resolveram se preparar para esta decisão. Ao som de "Gonna Fly Now", tema de Rocky Balboa, os atletas começaram a treinar exaustivamente, bateram em peças de carne nos frigoríficos, deram piques na praia e só não subiram os degraus do Museu de Arte da Filadélfia porque estamos em São Paulo. O clima não era de revanche, mas aquele resultado estava engasgado, e com boas atuações de Rafa Martins e Viola, os abutres golearam por 6 x 1, chegando ao topo da Prata – com os punhos para cima – pela segunda vez.
 
Não deixar o adversário respirar e encurralar na quadra de defesa. Os instantes iniciais do Condor’s foram nessa pegada, fazendo com que Gallego despachasse a pelota para onde visse. No entanto, ao estilo de Spido Rico, Apollo Creed, Ivan Drago, entre outros oponentes de Balboa, quem assustou foi o 2 Tok’s. Arnon pegou a bola na ponta esquerda, recuou para Cayami enfiar um belo passe para Hulk, que protegeu, girou e finalizou, mas Marcão fez boa intervenção. Na sequência, o 18 toquense quis pegar o rebote, porém cometeu falta em Mininel e o jogo ficou parado.
 
A resposta abutre veio na sequência. Lançamento à la Carlos Alberto Torres para o lado ofensivo, Preto buscou ajeitar, mas a sobra ficou com Dri Ferreira e a redonda passou por cima de Gallego. Os toquenses voltaram a incomodar Marcão, quando Rafa Martins perdeu a disputa para Arnon, que bateu a carteira e ligou a contraofensiva. Enquanto o 12 condor ficava sentado e reclamando de falta, Caíque arrancou pelo meio, Arnon recebeu na direita, mas exagerou na barrinha e mandou por cima.
 
Pelo poderio ofensivo dos dois lados, faltava um golzinho para que o espetáculo pegasse fogo de vez. Aos 10 minutos, Arnon cobrou escanteio da esquerda, a defesa condor afastou errado e a sobra ficou para Naldo armar e rolar para Kelcy bater de longa distância. No meio do caminho, Joãozinho colocou o pé no lugar onde não devia, a pelota encobriu Marcão e acertou a gaveta esquerda. Tento dado para o 17 toquense! 1 x 0!
 
O Condor’s levou aquele golpe no queixo, mas não caiu. A resposta foi imediata após o chute de Joãozinho do meio da avenida, Gallego não conseguiu segurar a batata quente no chão, Dri Ferreira pegou o rebote, tirou o arqueiro toquense da meta e rolou para o próprio Joãozinho completar para o gol aberto. Isso que eu chamo de imediatismo! De vilão no tento anterior para mocinho no lance seguinte! 1 x 1! 
Com os dois tentos marcados, a impressão era de que teríamos um “tiroteio”, mas ambos os lados passaram a errar os alvos. Vivendo perigosamente, a defesa do Condor’s quase entregou o gol ao adversário, quando Cachorro errou o cálculo, deu o melão nos pés de Naldo, passe rápido para Cayami no corredor central, com o tiro passando por cima. Os andinos tentaram responder em seguida, quando Gennick rabiscou e buscou o passe para Cachorro, mas a redonda foi forte e passou longe. Com isso, Leandro Dias pediu tempo para arrumar a cozinha, e enquanto rolava a parada técnica, um dos árbitros teve que sair de quadra com dores na perna direita e foi substituído. Depois de cinco minutos, a bola voltou a rolar, com o 2T a uma falta de ficar pendurado. E ficou. Aos 20 minutos, Gennick, talismã da equipe nesta reta final, foi calçado por Naldo. Falta frontal, porém, a execução não merecia nem passar nos melhores momentos da partida (isso se tivéssemos o “Show do Intervalo”), pois Varjão rolou para o 99 condor e a esfera se perdeu na linha de fundo. Chute mais torto do que o olho do Cerveró.
Aos 22 minutos, boa trama envolvendo Biel, Rafa e recuo para Gui Marchesano. O 8 toquense ajeitou para Naldo avançar pela quadra de defesa, ir ganhando espaço, liberdade e confiança até disparar um canudo rasteiro na trave esquerda de Marcão! A resposta condor veio em duas vezes sem juros. Na primeira, Viola deu um passe milimétrico para Cachorro disparar na ponta direita, chute forte no canto esquerdo, mas Gallego salvou com as pernas. Depois, foi a vez de Preto acionar Gennick no corredor direito, rabiscada sobre Cayami e Caíque, passe para Varjão finalizar, porém, Naldo e Biel conseguiram afastar o perigo.
 
O último momento deste primeiro round foi do 2 Tok’s. Com toda a liberdade do mundo, Renan arrancou pelo meio, tocou para Kelcy na ponta esquerda e foi ao ataque para receber de volta, mas buscou ajeitar de calcanhar e a bola parou nas mãos de Marcão. Preciosismo? Fim da primeira etapa de uma final que estava com cara de ser equilibrada e decidida por pontos.
 
Chegou o segundo tempo e os toquenses impuseram uma blitz ao adversário e poderiam ter voltado à dianteira no score. Cayami cobrou lateral para o tumulto, Hulk dominou e ajeitou de calcanhar, mas mandou à esquerda. Que perigo! No ataque seguinte, Naldo recuperou a pelota na quadra de defesa, deu um belo passe para Cayami disparar na avenida direita, inversão para Caíque chegar batendo. Vitão chegou na “hora H” e salvou com o peito.
 
A pressão continuava. Só dava 2 Tok’s e parecia que o monstrinho iria sair da jaula. Lançamento de Gallego para o ataque, Hulk ajeitou, Cayami levou a melhor sobre Bispo e o tiro tinha endereço, mas Marcão tentou encaixar e quase levou um peruzaço. Na sequência, o guarda-metas foi à linha de fundo e deu um bico para o lado. Na sequência, novamente o 7 toquense em ação após nova arrancada, desta vez Preto chegou atropelando e cometeu falta a um passo da área. Cartão amarelo para o 10 condor, lance perigoso, conferência no lado branco (quem bate?), cobrança do próprio Cayami, mas Joãozinho atirou próximo ao poste direito. Fechando a trinca, Gui Marchesano partiu da quadra de defesa, Arnon recebeu a redonda na ponta canhota e enfiou para Hulk, mas a pelota teimava de não entrar e novamente o poste foi amigo do Condor’s. No rebote, Marchesano tinha tudo para marcar, mas Mininel chegou dividindo e corner para os toquenses.
 
O gás do 2T acabou e Rafa Martins começou a aparecer para o lado condor. O camisa 12 colocou a bola debaixo do braço e chamou a responsabilidade. No primeiro lance, arrancada pelo meio, tiro de longa distância e Gallego fez uma bela defesa no canto direito, colocando para escanteio. Depois, o 12 abutre recebeu de Joãozinho, deu caneta no zagueirão Naldo e acertou outro petardo, desta vez o travessão impediu com que saísse um golaço nesta final!
 
Aos 7 minutos, a defesa branca dormiu no ponto, Gui Marchesano perdeu a bola para Viola, Rafa Martins ligou o contra-ataque – 3 contra 2 –, bola para Dri Ferreira na esquerda, devolução para Viola, que completou para o gol vazio. Dá-lhe comemoração no alambrado! Festa abutre nas arquibancadas! Virada do Condor’s! 2 x 1!
 
O gol deixou o 2T tonto, zonzo, mas longe de cair e abrir contagem. O Condor’s chegou a pedir tempo e acabou voltando melhor, a ponto de querer matar o duelo o quanto antes. Aos 13, Cayami buscou recuar para o lado defensivo, mas Varjão foi esperto, viu a aproximação de Cachorro e deu um belo passe. O canino deu um corte em Naldo, avançou e deu um tapa no canto esquerdo de Gallego. Comemoração fazendo jus ao apelido e o Condor’s ficando perto do título. 3 x 1!
 
O que era ruim ficou pior para os toquenses na parte final do duelo. A equipe começou a perder a cabeça, o psicológico tinha virado pó e Biel deu um tackle em Varjão. Cartão amarelo e enquanto se preparava para sair de quadra, falou demais e levou o segundo amarelo, deixando o time com um jogador a menos por dois minutos. Quem aproveitou e arrancou para o título foi o Condor’s. Tudo começou com um chute displicente de Caíque, que carimbou a defesa adversária e deixou limpa para Rafa Martins puxar o contra-ataque. O passe foi certeiro para Dri Ferreira ajeitar para trás e Viola chegar enchendo o pé, vencendo Gallego, que não achou nada no canto esquerdo. Na comemoração, o 88 condor ficou “parado na esquina” frente à sua torcida e os andinos começavam a fazer contagem regressiva para o título. 4 x 1!
 
A partida estava definida, ainda tinha uns minutos por jogar e os toquenses continuavam perdendo jogadores. Depois de um desentendimento dentro da área, Preto e Renan foram para o chuveiro mais cedo – agradece pessoal, pois estava um calor do c@#%&**. Mais dois nomes do 2T entraram no bonde: Marcão, que havia levado a tarjeta amarilla minutos antes; e Arnon, de forma direta. Assim, os instantes finais foram com clima de ‘pelada de churrasco’.
 
Ainda deu tempo para o Condor’s anotar mais dois tentos antes do apito final. Aos 29 minutos, Tuzão arrancou pelo centro e ajeitou para Gennick na ponta esquerda. O talismã condor dominou, puxou para o meio e não deu chances para Gallego. Que estrela tem esse garoto! Décimo tento na competição, sendo sete na fase final. 5 x 1! Para finalizar, outro passe de Tuzão, Gio estava livre na ponta esquerda, quase sem ângulo e o tiro de bico passou pelo arqueiro toquense. Fecha a conta e passa a régua, pois o Condor’s é campeão! 6 x 1!
 
O Condor’s volta ao topo da Prata depois do primeiro semestre decepcionante ao ser rebaixado da Série Ouro. Camisa pesa nessas horas e a equipe soube arrancar na hora certa para levantar o caneco pela segunda vez. “Eye of the Condor’s” e vamos ver se a equipe sobreviverá na “selva” da Ouro.  O 2 Tok’s fecha o ano com o título da Série Bronze no semestre passado, além do vice-campeonato. Também conseguiu o acesso à elite do Chuteira e será que teremos uma trilogia seja na fase de grupos ou no mata-mata? Para o bem da nação chuteirense, nada como outro embate para desempatar.
 
Ficha técnica

2 Tok’s 1 x 6 Condor’s – Final do XX Chuteira de Prata

Gols: Kelcy (2T); Joãozinho, Viola (2), Cachorro, Gennick e Gio (C)

Cartões amarelos: Biel, Naldo e Marcão (2T); Rafa Martins, Cachorro, Preto e Mininel (C)

Cartões vermelhos: Biel, Marcão, Renan e Arnon (2T); Preto (C)

MVPs: 1 – Rafa Martins (Condor’s); 2 – Viola (Condor’s); 3 – Cayami (Tok´s)

MVP DAS FINAIS: Rafa Martins (Condor´s)

Comentários

Total (0)